sexta-feira, 6 de maio de 2011

FILHO PELA CULATRA













Vim
Dum
Ventre
Quente
Que me
Atirou no
Frio oco
Do mundo.
Somente
Tenho
O consolo
De ser mor-
Tal. Tal
Qual
Um vírus.

(Dirigido a Osama - que não amava ninguém - Bin Laden)

(Pedro Ramúcio)

28 comentários:

  1. osama,
    que não amava.
    que não-nunca soube nenhuma forme de amor e de amar.

    sua poesia, pedro de la rama,
    bálsamo pro meu doer.

    beijao,

    r.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pedro!

    Tomara que o Tal vírus não adquira formas outras para se tornar resistente às doses de tolerância, amor e respeito que precisamos tomar todos os dias.

    Um cheiro.

    ResponderExcluir
  3. osamas, obamas, Hosana nas alturas, iluminai-nos



    abraço

    ResponderExcluir
  4. osama nas funduras (do mar), segundo a cia, assis.

    ResponderExcluir
  5. Osama...Faz tempo paro e penso sobre ele. E agora...continuo parando e pensando sobre ele: corpo no fundo do mar? Sei lá...
    Beijos,

    ResponderExcluir
  6. a gente não se engana
    morto ou vivo
    tristemente
    sempre há quem não ama

    abs

    ResponderExcluir
  7. Delima,
    Amar, penso e sinto, é e sempre será mais, muito mais, sinto e necessito; de ódio não preciso, careço não...
    Osama foi pelo caminho da vingança, e a vingança sempre se vinga do vingador, nunca vingado: penso e sinto, meu irmão, cê que me faz sentir e pensar isso...
    Eu particularmente acho que não conseguiria estampar sequer a foto de Bin Laden sem uma espécie de antídoto, que é a de Gandhi, ao lado, ele que representa tão bem o melhor combate, o combate de paz, com paz, pela paz...
    Paciência se outros pensam e preferem agir diferente: pela guerra, pela morte, pela vingança a qualquer preço, a qualquer custo, que sempre são altos...
    Prazer e honra merecer sua presença no Geral, meu quintal de quimeras...

    Abraço dominical,
    Dellarrama.

    ResponderExcluir
  8. Pólen,
    Tolerância, sim, a solução: concordo contigo...
    Tolerância que infelizmente até as religiões pouco a têm disseminado...
    Tolerância, e seria um Paraíso qualquer canto da Terra...
    Obrigado pela visita e volte sempre que tiver vontade, agradeço agora e sempre...

    Abraço tolhido de tolerância (eu que a quero sempre mais),
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  9. Assis,
    Nas alturas nossa amizade, nosso bem-querer-nos, nossa poesia de cada dia, nossas rimas como o melhor remo a nos guiar, e nosso gosto de água e de amigos como diria o paraibano do Paêbirú Zé Ramalho...
    Obamas, Osamas, Bushs: nada pode justificar uma morte, ou a necessidade dela...
    Eu que sou um poeta que acha que é um poeta, escreverei sempre com lágrimas: mas com sangue, never de nunca não...
    Fico feliz demais toda vez você vem me visitar, como quando te visito eu...

    Abraço deste que te considera alto,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  10. Beto,
    Será o caso de um exame de corpo-delíquido?

    Abraço sólido,
    Darrama.

    ResponderExcluir
  11. Tania,
    O corpo pouco importa, a alma dele já estava à deriva há muito: desde 11 de setembro de 2001...
    Ainda prefiro pensar em Gandhi, a ele rendo todos os meus pensamentos, e uma homenagem aqui neste quintalzinho de lembranças, se me bater a luz da inspiração, que tudo está mesmo é nos neurônios, já disse o grande e ins(pirado) Pedro Luis...
    Obrigado pela visita que me é sempre inspiradora...

    Abraço fundo e pró só amizades,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  12. Pizano,
    Antes de tudo é um prazer receber você aqui neste meu quintalzim de quimeras, poeta...
    Dos que não amam, desses quero distância, todas as distâncias possíveis, mas espero que a poesia os habite antes que seja tarde...
    E que a poesia nos aproxime sempre mais, eu e você desde aqui, é o que espero desde agora...

    Abraço poético e próximo,
    Pedro ramúcio.

    ResponderExcluir
  13. Hoje eu vim deixar um beijo gigante para você e lhe desejar uma semana MARAVILHOSA!!!

    ResponderExcluir
  14. Lígia,
    Acho que será, depois de merecer sua visita tão gentil, daquelas semanas de oito dias que só o Quintana sabia inventar, reinventada por você agora...
    Obrigado de imenso pelo carinho com este mero rabiscador de quimeras, apenas um pobre amador como na canção do Jobim...
    Por dizer do Jobim, o maestro soberano, roubei, poeticamente, é claro, a inspiração dele pra Lígia dele, e fiz a "Seguida Canção Para Lígia" que qualquer dia lhe mostro...

    Abraço (tr)av3sso,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  15. Gostei bastante do Blog, :)
    Muito interessante !
    Deixo o meu aqui, caso queira dar uma olhada, seguir...;

    www.bolgdoano.blogspot.com

    Muito Obrigada, desde já !

    ResponderExcluir
  16. Amanda,
    Claro que fui lá, moça simpática dos Montes Claros...
    Claro que gostei de te visitar e merecer tua visita cá no quintal...
    Volta sempre então, será sempre uma alegria do tamanho de Minas te receber...

    Abraço destes lestes das Minas,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  17. Ramúcio, poeta amigo!
    Tem uma coisa que me deixa tonta. Como pode alguém sair do ventre sem amor e sem amar? essa gente que sempre existiu não morre, já nasce morta.
    Bom ver Gandhi, pra gente entender o amor e a vida!
    Um bj grande, poeta das Minas

    ResponderExcluir
  18. Ira,
    Amar, pois que é palavra essencial - já escrevera com cachoeiras de razão, nosso Drummond (dru-mundo)...
    Feliz por merecer sua visita que eu amo, compositora de destinos do Rio...

    Abraço do tamãe da nossa amizade,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  19. Pedro,

    Vim conhecer seu blog e eis que já me encanto aqui! (Sim, existe vida inteligente na blogosfera).

    Pedro, eu acho terrivel, nojento, asqueroso esse negócio de vingança.
    Sangue não se paga com sangue, jamais.
    Óbviamente que o que Bin Laden fez, matando milhares de inocentes (que nem gosto de me lembrar porque ainda me dói), também não se justifica.
    Eu como humana e verdadeira que sou, digo que meu desejo é que ele derreta no fogo de um inferno qquer, porque falta de amor, incompreensão do ventre, não justifica que a pessoa se torne oca.
    Temos milheres de exemplos de pessoas assim que foram icones de bondade no mundo, pagando com AMOR o ódio que recebeu.
    Independente de qquer coisa, não apoio o que o presidente dos EUA fez.
    A césar o que é de César não funciona mais.
    Mas a maravilhaaaaa mesmo, o que encheu meu coração de AMOR, foi ver a foto de Gandhi!

    Isso pra mim já é tudo!

    Um grande abraço, e virei mais vezes.
    Incrivel como gostei daqui!!!

    ResponderExcluir
  20. Oi Pedro... TENHA UMA ÓTIMA SEMANA!!!

    ResponderExcluir
  21. Sil,
    Sê sempre bem-vinda ao Geral, tua visita me emocionou muito...
    Gandhi ensinou que com amor se paga tudo, muito principalmente algum ódio imerecido; ele é o antídoto para que eu conseguisse postar algo sobre Bin Laden, sem a presença dele não eu teria energia e nenhum conforto mental para estampar sequer uma vírgula sobre o terrorista que ceifava vidas inocentes a título de sua política de retaliação e vingança...
    Incrível como gostei de tua visita, moça sensível de Itanhaém que estampas tão bem Adélia Prado...
    Obrigado de imenso pela passagem luminosa por aqui, e volta sempre...

    Abraço Grandhi,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  22. Eliana,
    Muitíssimo obrigado, amiguinha...
    Desejo o mesmo para você: uma semana repleta de paz e alegrias mil...

    Abraço mineiro,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  23. Gandhi, sim!
    Ahimsa!!!
    Abraço, querido.

    ResponderExcluir
  24. Zélia,
    Ahimsa bem que há, que houve e sempre haverá Gandhi, né!
    Sua visita sempre me encanta e tantas outras coisas boas mais, sim!
    Viro um felizardo quando cê aparece do nada, com tudo...

    Abraço grandhi procê,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  25. Karol,
    Tanto melhor que a Terra nos seja leve...
    Sempre bom te merecer aqui neste quintal de quimeras, moça sensível da Maravilhosa...

    Abraço meu,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir
  26. Saudades de ti, menino LINDO de Minas!

    Sorriso franco, amizade doce, palavras bem escritas, alma de escritor que encanta pelos caminhos da vida... Menino que tem amor de sobra para compartilhar.

    É uma honra ser sua amiga!
    Lígia

    ResponderExcluir
  27. Lígia linda do sul,
    A honra é minha, a sorte é minha, o lucro (desses que a alma contabiliza, o coração multiplica e o olhos dividem) é todo meu, por merecer - nem sei se mereço, mas quero sempre - sua amizade, atenção e carinho...
    A manhã nasce azul quando cê vem aqui, ou eu vou lá te ler, pelo av3sso do av3sso do av3sso...

    Menino?!?! (o lucro só aumenta, uai!)...

    Abraço trav3sso,
    Pedro Ramúcio.

    ResponderExcluir